sábado, 28 de julho de 2012

VIAJANTES - Os verdadeiros milionários


Quando se escreve sobre um tema é conveniente que se conheça o tema. Não sou expert sobre viagens, mas gosto desse assunto e acho que minha paixão é compartilhada por muita gente. Assim que, faço minhas escapadas terem o valor de grandes conquistas e me atrevo a escrever estas linhas. 

Pequenos roteiros por lugares ainda não percorridos com paradas para um bate papo, um registro fotográfico ou simplesmente para contemplar as belezas do lugar podem trazer satisfação e ter tanto valor quanto uma grande viagem. Imagine então uma grande viagem. Por isso digo que um viajante se torna rico porque ao retorno sua bagagem de conhecimentos é sempre ampliada. 

Qualquer trecho que se percorra, em qualquer meio de transporte, a pé inclusive, pode se transformar em uma agradável viagem.

Diferentemente do turista, o viajante não precisa de motivos, não se preocupa com o tipo de vestimentas, com os meios de transportes, muito menos com as formas de hospedagem; o que ele realmente deseja é estar em novos lugares. O viajante tem uma certa necessidade em sair da zona de conforto e provar o sabor de uma aventura. O inusitado é o combustível do viajante.

Não é difícil identificar um viajante, ele está onde quer estar e deseja ir em frente. Um viajante deseja ir, decide ir e vai.

Um viajante não se contenta com a leitura de um livro, com imagens vistas na TV, com histórias contadas, ele quer descobrir mais do que sua mente registrou com informações recebidas. Um viajante é um descobridor, é um desbravador.

Tudo o que importa a um viajante é ir, ver e sentir.

Numa ocasião perguntaram a meu pai se ele tinha ido visitar um parente, calmamente ele respondeu: - Não! fui descobrir o que tinha lá.

Amyr Klink já disse que o homem precisa ver com seus olhos e andar com seus pés para entender o mundo que é só seu.  

"Uma viagem pode mudar o sentido de sua vida"
Esta canadense estava chegando no Brasil.
Um viajante descobre novos meios de transportes.
Um viajante conhece novos modus vivendi
Um viajante prova novidades gastronômicas.
Um viajante é feliz a seu modo.
Em 1987 eu estava descobrindo o norte da Argentina, de carona.

2 comentários:

Sônia Brandão disse...

Rui, gostei da sua visita a meu blog e gostei do seu blog também.
Lendo esta postagem sua pensei:sou viajante. Costumo fazer muitas destas coisas que você escreve aqui.

Um abraço.

Amanda Carneiro disse...

Padrinho, é por essas e outras que você é um exemplo para mim. Admiro seu modo de ver uma viajem e espero um dia poder aproveitar coisas tão boas quanto você.