terça-feira, 22 de junho de 2010

Os Sobrinhos do Capitão - A mais antiga história em quadrinhos ainda em publicação

Esta é para quem gosta de gibi.

Desde 1897, mais precisamente no dia 12 de dezembro, surgia nas páginas do The American Humorist, o suplemento dominical do New York Journal, aquele que seria publicado até os dias de hoje. Inicialmente em forma de tirinhas, depois como gibi, é lido em vários países.

Originalmente The Katzenjammer Kids, Hans & Fritz, ou Os Sobrinhos do Capitão, nasceu de mais um sonho americano: depois de uma viagem a Europa, o pequeno Willian Randolph Hearst trouxe na mala vários exemplares de gibis, inspirado neles guardou a ideia para duas décadas depois encomendar ao desenhista alemão Rudolph Dirks, a criação de tirinhas com base em uma família divertida. O desenhista inspirou-se em uma família alemã e desenvolveu os personagens. Hans e Fritz são tratados por dona Chucrutz como "os anjinhos". Pelo Inspetor como "os moleques". Pela professora Josefina como "os delinquentes" e pelo Capitão como "os S#@+$*!".

No Brasil foi, por muito tempo publicado em português, com tradução de Olavo Bilac, com o título "Juca e Chico".

É a história em quadrinhos mais longeva do mundo.
Recentemente ganhei do meu irmão, um álbum raro em edição especial (capa ao lado), contando toda a saga da criação.

7 comentários:

Maria Dias disse...

Nossa! Eu adoro histórias em quadrinho até hoje e em criança era a minha diversão favorita(gibis e bonecas de papel).Tive muitos gibis,inúmeras coleções...Um baú cheio deles e até hoje fico triste de ter me desfeito deles com o tempo.Obrigada por trazer esta relíquia dos gibis até nosso conhecimento.

Beijo

Maria

Anônimo disse...

Sabe compadre, foi dos gibis que mais gostei. Até me deu uma nostalgia lendo isso. Perfeita sua matéria. Se tiver algum exemplar me mostre no px.encontro nosso. Eu trocava essas revistas em 1965,66,67, qdo. ia no matinée no Cine Star em Foz do Iguaçu... afff, faz tempo...
To comentando como anônimo porque não tenho conta no google rsss

Rosa Marya disse...

Pôxa!!! que saudades... eu era feliz e não sabia...como amava ler os gibis, eles eram "pestinhas" mesmo, hoje a garotada só vê revista ou desenho violento. Obrigado pela publicação

Rosa Marya

Anônimo disse...

Me lembro de uma história publicada
nos anos 70 em que o capitão quebra
a perna, e num dado momento em sua
cadeira de balanço,tira um cochilo.
Os sobrinhos então aproveitam o
descuido, para reengessar a perna
do capitão...com cimento! No fim da história aparece o doutor com
uma talhadeira e marreta...para
"desengessar" - Quem foi o idiota
que engessou com concreto?,pergunta
com todas aquelas estrelinhas e cobrinhas no balão do quadrinho...

Anos 60 e 70 foram os melhores do século 20, apesar da politicagem
da época...a gente curtia um cinema, trocava gibis, ouvia uma
eletrola, escrevia cartas, assistia
tarzan no sábado na tv Tupy...em
preto e branco...é claro!
Obrigado ao pessoal do blog por
postar artigos como este...Nos faz
lembrar o quanto éramos felizes e não sabíamos... (mxp.varginha)

VELOSO disse...

GOSTO DE GIBI E DAQUI adorei saber um pouco mais sobre os Sobrinhos do Capitão! Seu Baú é muito rico!

auricineia disse...

eu adoro ler e na minha epoca a gente vinha lendo da praça ramos ate em casa gibis e revistas em quadrinho era a noss novela digo,fotonovelas com o sandro moretti lembram.agora falando em gibis os sobrinos do capitaõ lembra meus netos eles sao tirados dos gibis ;adorei este papofalando em gibis.

RUI MOREL CARNEIRO disse...

Pois é pessoal, essas historietas tinham um que de ingenuidade que atualmente são entendidas como politicamente incorretas, mas marcaram nossa infância e nem por isso somos os errados. Soubemos identificar o que era real e o que era ficção.